A cada dia, mais pessoas estão preocupadas com o meio ambiente e buscam alternativas para que suas ações o afetem minimamente. Ter um lar sustentável é uma dessas alternativas e para isso acontecer, é necessário que tudo seja bem planejado, desde o início da construção até a finalização.

Há diversos recursos tecnológicos que também auxiliam às práticas sustentáveis do dia a dia e que podem ser inseridas no projeto arquitetônico. Além disso, uma casa sustentável além de ser ecológica – reduzindo o impacto ambiental -, busca um retorno financeiro a longo prazo nas contas de água e luz.

Esse material elaborado pela 123Projetei procura reunir os mecanismos disponíveis para tornar a sua residência sustentável e economicamente viável.

1 – MATERIAIS

 1.1 TIJOLO ECOLÓGICO

O tijolo ecológico é confeccionado com terra + cimento + água. Não degrada o ambiente pois não destrói mananciais com a retirada de argila e seu processo de fabricação é por prensagem, não emitindo gases poluentes. O nome já diz, é ecológico.

Em sua composição pode conter resíduos de construção, demolição, fibras de coco ou bagaço de cana. Ou seja, há diferentes produtos comercializados, mas todos precisam seguir normas técnicas e testes.

A estabilidade é dada por colunas de sustentação e cintas de amarração distribuídas ao longo das paredes. As colunas são executadas em intervalos fixos com uso de vergalhão e graute e para uma montagem alinhada com um excelente resultado final, é importante que o assentamento seja realizado por profissionais.

1.2 LÂMPADAS LED

Light Emitting Diode ou Diodo Emissor de Luz, são lâmpadas com vida útil extremamente longa – mais do que as incandescentes e fluorescentes. Cerca de 95% da sua energia é transformada em luz e os 5% restantes, convertem-se em calor. Esse é o motivo principal que a torna mais econômica.

Proporcionam também uma economia de 80% na conta de luz, resultando num excelente custo-benefício. Ainda, é considerada sustentável pois praticamente todos seus componentes podem ser reciclados e não possui elementos tóxicos, como tungstênio e mercúrio – encontrados nas lâmpadas tradicionais.

2 – CONFORTO TÉRMICO

O conforto térmico é um tópico essencial numa construção pois garante a redução da temperatura em locais quentes e também o aquecimento da temperatura em locais frios. Por isso, devemos analisar atentamente quais serão os elementos empregados no projeto.

A diminuição de gastos com climatização e iluminação é outra constante. Há inúmeras possibilidades arquitetônicas que favorecem os recursos naturais e nos ajudam nessa diminuição.

 2.1 VARANDA

As varandas protegem as paredes, portas e janelas da incidência direta dos raios solares. Desta forma, favorece o conforto térmico no interior da residência, não superaquecendo-a. Isso faz com que o uso de ar-condicionados e ventiladores seja dispensável, gerando uma economia de energia.

2.2 BRISE

Brise é a abreviação do nome francês “brise-soleil” que significa quebra-sol. Sua função na arquitetura é justamente essa: impedir a incidência direta do Sol na superfície das construções residenciais e comerciais – sem atrapalhar a visão dos moradores para a parte externa.

Seu formato mais conhecido é de lâminas verticais ou horizontais, chamadas aletas. No entanto, persianas, cobogós e muxarabis também são considerados formatos de brises. A grosso modo, qualquer elemento que tenha a utilidade de “quebra-sol” é brise.

Devido à mudança na posição do sol, tanto diariamente quanto anualmente, os brises devem levar em consideração a orientação de cada fachada para ser realmente efetivo.

Esse elemento arquitetônico prova que é possível casar o conforto térmico com a estética. Você também pode ter diferentes tipos de materiais compondo o brise, por exemplo, concreto, madeira, aço ou alumínio e PVC, sua escolha dependerá do seu gosto pessoal e a finalidade.

2.3 TELHADO VERDE

Telhado verde, cobertura verde ou telhado ecológico é um grande aliado para a diminuição do calor interno na residência nos dias quentes. Além disso, cria uma grande área vegetal na sua casa.

Nada mais é do que um sistema térmico que visa a diminuição do uso de climatizadores e pode ser instalado em qualquer construção. Além da redução do calor interno, também promove uma grande melhoria na qualidade do ar e do isolamento acústico.

Se além de preservar o meio ambiente, você também se sente conectado com ele, utilize a vegetação nativa do lugar onde você mora. Assim, irá atrair pássaros, borboletas e outras espécies, aumentando a biodiversidade.

 

3 – EFICIÊNCIA ENERGÉTICA

Definição mais conhecida é: fazer mais com menos energia. Ou seja, precisamos racionalizar e melhorar o uso das fontes de energia que estão presentes no nosso dia a dia, mantendo o mesmo resultado final e assim tendo uma construção limpa.

Usando alvenarias tradicionais permitimos que o calor entre em nossas casas e depois, para resolver esse problema enchemos os ambientes com ar-condicionado. Ocasionando uma baixíssima eficiência energética, aumentando gastos e reduzindo o conforto. Por isso, devemos recorrer a alternativas que melhorem essa situação.

3.1 PAINÉIS SOLARES

A compra de painéis solares não é tão acessível. São mais utilizados em países desenvolvidos. Para se tornar algo realmente comum no Brasil, precisaríamos de incentivos governamentais.

Contudo, nos últimos anos tem ocorrido uma notável diminuição no custo desses painéis. Além disso, continua sendo uma excelente alternativa para aqueles que desejam eliminar a conta de luz.

O uso de painéis solares equivalem a energia eólica, uma geração de energia 100% limpa. Basicamente, os painéis solares convertem energia solar em energia elétrica, e você produz sua própria energia.

3.2 CISTERNA

Cisternas captam a água da chuva e  armazenam para reutilizá-las onde não há necessidade de água potável. Deve haver um tratamento para balancear o PH da água que está sendo tratada também, para que não danifique pisos ou plantas.

As calhas transportam a água das chuvas para um filtro onde é iniciado mecanicamente a eliminação de impurezas sólidas. Devido esse fato, a água armazenada deve ser utilizada apenas para lavar calçadas, para descarga do banheiro, para irrigar jardins, e outros serviços domésticos.

Há diversos tamanhos disponíveis no mercado, assim como diferentes materiais, você deve escolher a que melhor se adapte as necessidades de sua residencia.

3.3 AREJADORES

Arejadores podem ser usados tanto em torneiras como em chuveiros. Possuem a função de misturar ar + água, assim, diminuindo seu fluxo e mantendo a eficiência e a sensação de volume.

A água que sairá das torneiras e do chuveiro, ficará parecida como um pequeno “jato” e quanto maior for a pressão, maior a economia de água, que pode variar entre 50% e 80%.

3.4 BIODIGESTOR

Biodigestor consiste em um recipiente onde ocorre a decomposição de matéria orgânica – esgoto – em gás e fertilizantes. Só deve ser instalado em residencias, através de uma empresa especializada.

Nesse tratamento, não é utilizado produtos químicos. A decomposição é feita por bactérias anaeróbicas que digerem a matéria orgânica e essa digestão produz o biogás que pode ser transformado em energia.

3.5 SELO PROCEL

Ao comprar aparelhos eletrônicos e eletrodomésticos, escolha aqueles que têm o Selo Procel, que indica melhor eficiência energética.

De acordo com seus níveis de eficiência energética, os aparelhos são classificados pelo INMETRO em categorias que vão de “A” a “G”. O selo Procel é o reconhecimento pela categoria A. Ou seja, consomem bem menos.

 

4 – ILUMINAÇÃO E VENTILAÇÃO

 4.1 ABERTURAS ZENITAIS

Aproveitar a energia solar e iluminar os ambientes com luz natural, é garantia de economia na conta de luz. Fora isso, um projeto que aproveite ao máximo os recursos naturais, faz com que os moradores se sintam muito mais confortáveis e felizes.

A iluminação zenital é todo tipo de abertura/iluminação natural fixa no teto, através de algum elemento zenital revestido geralmente de vidro, acrílico ou policarbonato. Há diferentes tipos de aberturas zenitais, de vários tamanhos e indicados para diferentes ambientes. Para decidir qual é o ideal, tenha em vista a orientação solar sobre o seu terreno.

4.2 VENTILAÇÃO CRUZADA

Ventilação Cruzada é uma estratégia que deve estar de acordo com a parte arquitetônica do projeto, possibilitando melhoria na ventilação e iluminação interna da casa e também no conforto dos moradores.

Ela ocorre quando as aberturas laterais – de paredes e janelas – ficam em direções opostas ou adjacentes, aumentando a velocidade do ar circulado e permitindo que ele entre por um lado e saia pelo outro.

A ventilação pode proporcionar projetos mais espaçosos e iluminados, o que pode reduzir significativamente o custo de energia elétrica, devido a irrelevância de climatizadores ou lâmpadas durante um bom período do dia. Aberturas zenitais e janelas grandes, auxiliam diretamente na ventilação cruzada.

4.3 ESTUDO BIOCLIMÁTICO

Essencial em qualquer projeto residencial, comercial ou empreendedor. O estudo bioclimático é feito por um programa de georreferenciamento, onde se analisa a posição solar durante o ano inteiro sobre o terreno em questão.

Num país tão extenso como o Brasil, é natural que diferentes soluções sejam apresentadas para clientes em diferentes localizações regionais. Por isso esse estudo é tão importante, pois é possível planejar as melhores posições onde as aberturas da residência ficarão, trazendo iluminação e ventilação.

4.4 JARDIM DE INVERNO 

Jardim de Inverno é uma área com plantas dentro da residência, geralmente cercada por vidro. Além de trazer beleza, modificando completamente o visual do ambiente, sua principal função é trazer iluminação e ventilação.

Ter plantas em casa é terapêutico e melhora a qualidade do ar. Então se você possui um terreno mais estreito, onde seria necessário manter as paredes laterais coladas no muro e as aberturas apenas na frente e atrás, ter um pequeno jardim de inverno, fará toda a diferença no conforto dos moradores.

4.5 PÉ-DIREITO DUPLO

Pé-direito é a distância ou altura que vai do chão ao teto. A altura padrão é de 2,70 metros, e o pé-direito duplo refere-se ao dobro disso.

Melhora a iluminação do ambiente, devido a possibilidade de inserir grandes janelas e melhora a ventilação pois, como todos já devem saber, o ar quente tende a subir e o ar frio a descer. Desta forma, locais com teto alto tendem a ser mais frescos.

5 – HÁBITO SUSTENTÁVEL 

Além de utilizar materiais ecológicos, que não agridem o meio ambiente e de optar por alternativas arquitetônicas sustentáveis, é preciso adquirir hábitos que remetem a sustentabilidade no dia-a-dia também.

Mudar nosso modo de ver e respeitar a natureza e seus recursos naturais é a melhor forma de viver e ter uma casa sustentável.

5.1 HORTAS 

 Seja um terreno amplo ou pequeno, dedicar um espaço para hortas e plantas, assim como o jardim de inverno, traz uma série de benefícios. Por exemplo, você e sua família ficarão livre de agrotóxicos.

É uma prática totalmente sustentável porque gera menos lixo, menos desperdício e não estimula o desmatamento. Além disso, plantar e colher em casa é muito mais barato: você terá algo que faz bem ao meio ambiente, sua saúde e seu bolso.

Que tal começar uma atividade natural, relaxante e em contato com a natureza, que reduz a ansiedade e o estresse?

5.2 RECICLAGEM 

A coleta seletiva já é obrigatória em algumas escolas, condomínios e cidades. Se na região onde você mora possui, comece a utilizar esse recurso.

Basta separar embalagens plásticas, metais, papéis e vidros, do lixo orgânico. Isso vai te roubar alguns minutos do dia, mas trará milhares de anos de retorno – que é o tempo que alguns desses materiais levam para se decompor.

O óleo doméstico é outro material que precisa ser descartado de forma correta. Em hipótese alguma jogue na pia. Você pode fazer sabão com o óleo sujo ou encaminhar para uma empresa que o recolha.

5.3 ESQUEÇA SACOLAS PLÁSTICAS E CANUDOS

Eliminar da sua rotina o uso desses dois materiais é uma das coisas mais sustentáveis que você poderá fazer. Sacolas plásticas e canudos são os principais vilões do lixo marinho.

Compre uma ecobag e a leve sempre que for fazer compras no supermercado. Hoje em dia, há canudos biodegradáveis e reutilizáveis disponíveis também.

 

6 – PROJETO

Todos os tópicos anteriores são definidos na fase de projeto. Para você ter uma casa sustentável, é preciso que tenha também um profissional incluindo as alternativas apresentadas desde o começo do planejamento da obra.

Além dos projetos, outro item importante para uma execução sustentável e que também está incluída nessa fase, é a Planilha de Quantitativo de Materiais. Deste forma, você evitará o desperdício de insumos, fazendo um uso racional dos mesmos.

Se você seguir pelo menos dois itens do que listamos, já irá perceber uma melhora significativa no seu consumo de energia e nas práticas sustentáveis da sua família.

 

Share on facebook
Share on google
Share on pinterest
Share on whatsapp

Monise Melo

Criadora de conteúdo e responsável pelas Mídias Sociais da 123Projetei. Graduanda de Engenharia pela Universidade Federal do Rio Grande (FURG).

Deixe uma resposta

This Post Has 4 Comments

  1. Marçal Oliva

    Excelente artigo. Parabéns Monise Melo. Grande abraço.

    1. Monise Melo

      Muito obrigada, Marçal!
      Continue nos acompanhando para ler os próximos artigos. Abraço, amigo.

  2. JOAO CARLOS DA SILVA

    Excelente este artigo, vai ajudar muitas pessoas em seus projetos na hora de construir sua casa.

    1. Monise Melo

      Olá, João Carlos! Tudo certo?
      Obrigada por seu comentário. Se o artigo irá ajudar muitas pessoas, então acertamos no assunto. Continue nos acompanhando 🙂

      Att, Monise.